sexta-feira, 24 de julho de 2009

Chama o xamã


De novo, aconteceu.
Eu, nesses passes mágicos.
Sinto que preciso e quero,
Mas a minha mente se perde,
Levando-me para a perdição.

Meu corpo está aqui, sei disso,
Mas a minha mente não está.
Vejo e sei que a coitada tenta.
Mas, que é realmente tentar?


Penso apenas no que quero
E gasto energia pensando.
Sou o mesmo de sempre.
Não gosto, mas é assim.
É e sempre foi só assim.

Descobri que o problema sou eu,
Que nunca me deixo descobrir.
Quando estou longe, eu quero,
Perto, cadê impulso para saltar?

Nenhum comentário:

Postar um comentário